NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
ARTIGOS
Sexta-feira, 22 de Março de 2019, 15h:41

LEITOR

A tutela das Forças Armadas

No berço da civilização ocidental surgiram pessoas que redigiam discursos, geralmente mediante remuneração, às partes em litígio, levado aos poderes das Civis. Eram os logógrafos. Depreende-se “logo” e “grafos”, literalmente, opinião e escrita, de forma que opinavam por intermédio do código linguístico ao que se pretendia na peça oratória. Logógrafos eram primos dos Sofistas, filósofos práticos que fundaram a profissão de professor privado, antagonistas dos Filósofos e por eles defenestrados. A figura do "advocatus" brasileiro, data (máxima) venia, está cada vez mais similar ao logógrafo-sofista, embrionário dos “advocati”, principalmente, devido a que “ab ovo” seguem “gratia argumentadi” a “ad negotia”. Conseguindo ver, literalmente, corno em fronte de ginete, devaneios de sua áurea mediocritas intelectual. Acabam, assim, por confirmar, sofisticamente, que a qualificação coetânea já não condiz àquela que permitiu a admiração de Roma aos “patronus”, homens de profundo saber jurídico, ou a do grande Rui Barbosa, estadista brasileiro. Muitos se limitam a meros rábulas, psitacídeos de corsário, de uma esquerda gauche, sem lastro moral e ético, cuja figura emblemática é a narizinho Gleisi Hoffman. Por fim, quem acredita que a garantia dos poderes da República é devida ao que está grafado na constituição, já que papel aceita tudo, e não por outros motivos implícitos e explícitos, é bom ler o poema “É o soldado”, de Charles M. Province, que mesmo os atuais logógrafos-sofistas entenderão, apesar das suas limitações de compreensão no tocante à coerência, clareza e concisão, pois apenas um verso já diz tudo: “É graças aos soldados, e não aos advogados, que existe o direito a um julgamento justo.” FLAVIO BENEDITO DE SOUZA, Funcionário Público, Cuiabá/MT flaviosouzab@hotmail.com   Adesivos pedem volta de Taques Deus é mais... O que está acontecendo agora é por culpa dos Governos passados, não tem nem mês que Mauro Mendes entrou e já querem que ele faça milagre, o estado está com dividas. Eu hein! Pedro Taques ajudou afundar mais ainda, principalmente por sua arrogância, e má gestão. CAROLINE AQUINO, Cuiabá/MT   MT tem oito UPAs prontas, mas sem funcionar Construção da Propina... Funcionar dá Trabalho. JOSÉ LUIS MARAN CUIABANO, Representante Comercial, Cuiabá/MT rodocuiaba@hotmail.com   Vírus podem causar doenças neurológicas Parabéns pelo alerta, mas vejo que, ainda, ninguém tem coragem de falar das doenças espalhadas por pombinhas e por gatos de rua, tenho amigos que morreram ou ficaram cegos por tal causa. ERICO DE MELLO CAMPOS, agrônomo, Cuiabá/MT erico.emc@gmail.com   Cuiabá tem alto índice de infestação do Aedes aegypti Adoto uma metodologia exatamente ao contrário do que se orienta para o combate aos mosquitos proliferadores dessas doenças. Eu não coloco areia em bandejas de vasos de plantas ou qualquer vasilha que possa acumular água, mas, simplesmente e constantemente, verifico se há larvas de mosquitos desenvolvendo-se nesse(s) ambiente(s) e, ocorrendo, coloco nessa água, hipoclorito ou água sanitária, que tem o poder de matá-los. Ou seja, se você eliminar esses possíveis criadouros próximos de sua casa, à sua vista, esses insetos irão por suas ovas em ambientes semelhantes, só que, longes de suas vistas. Para combater ratos ou baratas, vocês os perseguem com um "chinelo", ou coloca uma ratoeira ou armadilha adequada a cada "praga"? Fica aí a sugestão para análise. Ah! E para comparação. JOÃO GALDINO DE MEDEIROS, Economista, Cuiabá/MT jgaldinomedeiros@hotmail.com   MT deve produzir 63 milhões de toneladas grãos E edificante a história dos homens do agronegócio em Mato Grosso. Partiram do RS, PR, SC, SP, onde venderam chácaras que possuíam e compraram extensas áreas de matas e serrados em MT, transformando-as em campos produtivos de soja, algodão e milho. Criaram riquezas, ajudando alimentar uma centena de países, gerando divisas para o país. Hoje, estão capitalizados, ricos e poderosos. Também foram beneficiados com juros subsidiados do BNDEs, securitização, estradas, pontes e pela benevolente Lei Kandir que os isentou de impostos. Chegou o momento de contribuírem com o Estado que os acolheu tão generosamente. Os produtores agrícolas argentinos pagam 30% de imposto quando exportam seus produtos; não têm dificuldade para exportar seus produtos para os ávidos países importadores. Face ao exposto, creio que chegou a hora dos barões do agronegócio contribuírem para solucionar os graves problemas de MT: endividamento, saúde, infraestrutura, saneamento, educação, etc. Seria razoável que eles contribuíssem com 15% de ICM para o Estado, (metade do que os argentinos pagam). É inadmissível que apenas 1% da população (o pessoal do agronegócio), detenha 70% da renda do Estado, sem dar nenhuma contribuição. Governador Mauro, encampe essa luta, que seu governo será bem sucedido, se não o Estado vai para o ralo. MANOEL SATURNINO CUNHA FILHO, produtor rural, Cuiabá/MT manoelcunhafilho@hotmail.com   Pedido do MEC não será aplicado em MT Será que há entre os ministros do Bozo uma disputa para ver quem faz mais cagada... Serão 4 anos de muita risada. NEIMAR BRUN TEIXEIRA, locutor, Cuiabá/MT neymarbrun@hotmail.com


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
Em sua opinião, qual deve ser a prioridade do futuro governador de MT?
Reduzir o número de Secretarias de Estado
Concluir as obras do VLT
Pagar dívidas com fornecedores
Saúde, Educação e Segurança Pública
PARCIAL