NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
ARTIGOS
Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018, 18h:00

ADMAR PORTUGAL

Futebol e Imprensa

Durante todo o dia 6 de fevereiro deste ano, uma terça-feira, no auditório do Hotel Paiaguás, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Av. do CPA), em Cuiabá, a Associação Mato-grossense de Cronistas Esportivos (Amace), em parceria com a Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace), reuniu mais de 100 jornalistas de diversas áreas, principalmente os que acompanham o futebol mato-grossense, no seminário “Amace 2018”. Estive presente durante toda a discussão, principalmente sobre a atuação da imprensa falada, televisada e escrita sobre o futebol regional e outras modalidades. Foi gratificante reencontrar vários profissionais da antiga e da atualidade presentes no evento. A decepção foi o não comparecimento de dirigentes dos ditos clubes profissionais do Estado, principalmente do novo gestor da FMF, o ex-presidente do Cuiabá Esporte Clube, Aron Dresch. Pior ainda, foi ouvir a justificativa do gestor da FMF, de que não precisava participar do seminário, pois a cobertura esportiva do campeonato pouco interessava a ele. Não apenas o presidente da FMF, mas os demais dirigentes de clubes perderam a oportunidade de tomar conhecimento da realidade do futebol regional, que, graças ao apoio da crônica esportiva do Estado, na cara e coragem, sem nenhum apoio financeiro da entidade que comanda o futebol mato-grossense, ainda sobrevive. O que chamou minha atenção foram os discursos do presidente da Abrace, Kleiber Beltrão, e do jornalista Cledi Oliveira, da ESPN Brasil. Beltrão disse que o fundamental no campeonato é o tripé dar certo. O primeiro item é a crônica esportiva, que vai divulgar o evento. Sem ela, o torneio está fadado ao fracasso. Segundo, os clubes, que, na verdade, são as atrações nas arenas. É preciso investir em profissionais de qualidades e dai por diante. O terceiro é a Federação. A entidade é responsável pela organização do torneio e deve exigir dos clubes que cumpram as regras determinadas pelo regulamento. E ponto final! Já o jornalista Cledi Oliveira cobrou planejamento dos clubes, assim como da parte do Governo do Estado. No caso do Estado, ele se referia ao descaso para com a Arena Pantanal, que custou mais de R$ 500 milhões, foi palco de quatro jogos da Copa do Mundo de 2014 e ainda não teve sua entrega oficialmente feita pela empresa responsável. É alvo de constantes críticas não somente da mídia local como também do Brasil inteiro. Os clubes também precisam se profissionalizar e criar categorias de base para formar grandes talentos no futebol. E assim, ter um retorno garantido. A Amace vai elaborar um documento com várias sugestões para buscar melhorias para o futebol regional como um todo. ADMAR SILVA DE PORTUGAL é repórter. asportugal@diariodecuiaba.com.br

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL