NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 11 de Novembro de 2019
BRASIL
Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018, 18h:56

PREVIDÊNCIA

Arthur Maia nega infraconstitucional

ANGELA BOLDRINI
Da Folhapress – Brasília
O relator da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), afirmou ontem, que não vê possibilidade de mudanças nas regras de aposentadoria por meio de medidas infraconstitucionais - aquelas que não dependem de mudança na Constituição, como por meio de projeto de lei. "Eu não vejo essa possibilidade, porque veja só, o que havia de possibilidade infraconstitucional pelo governo federal foi feito pela presidente Dilma Rousseff", afirmou o deputado. Segundo ele, os principais pontos da reforma - a modificação na idade mínima e o teto para servidores estaduais e municipais - não podem ser colocados em projetos infraconstitucionais. A tramitação da proposta com mudanças constitucionais foi suspensa pelo governo após a assinatura do decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro, na sexta-feira. Isso porque o texto constitucional não pode ser emendado durante período de intervenção. O governo, que vinha tendo dificuldade para angariar o apoio necessário para a aprovação na Câmara dos Deputados, desistiu de tentar votar o projeto antes das eleições. O relator também afirmou que a aprovação em novembro, após o pleito, como era aventado por aliados do governo, dependerá do presidente eleito. "Nenhum de nós é capaz de prever o que vai acontecer no Brasil daqui a um mês, quanto mais em novembro. Em novembro, nós já teremos um presidente eleito e esse presidente certamente será o responsável por dar as diretrizes de uma eventual reforma da Previdência", disse. Sobre as dificuldades que o governo encontrou para conseguir os votos necessários para a aprovação -308 de 513 deputados-, o parlamentar criticou o "ambiente eleitoral" da Casa. "A reforma não foi aprovada por causa do ambiente eleitoral, porque tem muita gente que está mais preocupada com a sua eleição do que com o Brasil", disse.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL