NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019
BRASIL
Quinta-feira, 15 de Fevereiro de 2018, 17h:55

CHUVA

Temporal deixa quatro mortos no Rio

MARTHA ALVES e NICOLA PAMPLONA
Da Folhapress – São Paulo e Rio
Ao menos quatro pessoas morreram no Rio de Janeiro após um temporal acompanhado de fortes ventos, entre a noite de quarta e a madrugada de quinta-feira. A cidade amanheceu com ruas alagadas, árvores caídas, problemas no transporte público e regiões sem energia elétrica. Parte da ciclovia Tim Maia, na zona sul da cidade, desabou após um deslizamento de terra. A ciclovia já havia apresentado problemas em 2016, quando fortes ondas derrubaram um trecho da via, matando duas pessoas. Por volta das 12h20, o secretário da Casa Civil, Paulo Messina, confirmou que um menino, que não teve o nome e nem a idade divulgados, morreu em Cascadura, zona norte, após sua casa desabar parcialmente. A vítima foi levada para o hospital estadual Carlos Chagas, mas já chegou morto. Um homem e uma mulher também morreram soterrados por volta das 2h40 desta quinta. Marcos Garcia, 59, e Judina Magalhães, 62, não resistiram aos ferimentos causados por um deslizamento de terra no bairro de Quintino, na zona norte da capital fluminense. No local, o idoso Alamir Cesar, 90, também chegou a ter parte do corpo soterrada, mas foi resgatado pelos bombeiros e levado para um hospital. Outra vítima foi o PM Nilcimar dos Santos, 48, que foi atingido por uma árvore na Rua Recife, em Realengo, também na zona oeste. As zonas norte e oeste foram as mais afetadas pelo temporal. Segundo o Alerta Rio, da prefeitura, em uma hora foram registrados 123,6 mm de chuva na estação Barra/Riocentro, o maior volume de chuva registrado, no período de uma hora, na série histórica. O órgão armazena os dados de chuva do município desde 1997. Antes, o recorde de chuva em uma hora havia sido de 116,2 mm, em Campo Grande, em 19 de março de 2000. ÁRVORES CAÍDAS Na madrugada, a cidade chegou a ficar aproximadamente cinco horas em estado de crise o terceiro nível em escala de três para alagamentos e deslizamentos. Por volta das 5h30, ela voltou ao estágio de atenção. Por volta das 7h, o Centro de Operações informou que equipes da prefeitura foram acionadas para a retirada de 13 árvores que caíram por conta da chuva. Segundo o balanço, foram registrados ainda ao menos três alagamentos, um deslizamento de muro, uma queda de muro e uma queda de poste.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL