NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 22 de Setembro de 2019
CIDADES
Terça-feira, 04 de Junho de 2019, 09h:01

INFLUENZA

80 municípios não atingem meta de vacinação em MT

A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Dos 141 municípios mato-grossenses, 80 (56.7%) não atingiram a meta de vacinação contra a Influenza durante a campanha nacional, em Mato Grosso. Os dados da Secretaria de Estado de Saúde (Ses-MT) apontam que a cobertura vacinal atingiu 87,74% da população alvo até o último dia da mobilização, encerrada na última sexta-feira (31). O objetivo da campanha é atingir 90% das pessoas consideradas prioritárias.

De acordo com o levantamento da Ses, os municípios com grande concentração populacional como Várzea Grande, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste, Campo Verde e Jaciara estão entre as cidades que conseguiram cumprir a meta de imunização. Os cinco melhores colocados, que inclusive ultrapassaram a meta, são Tapurah (121,22%), Santa Cruz do Xingu (116,86%), Alto Boa Vista (114,26%), Planalto da Serra (113,15%) e Luciara (112,78%).

Com isso, os 61 municípios devem estender o período de vacinação para cumprir com o estipulado pelo Ministério da Saúde (MS), que ainda na semana passada anunciou a prorrogação da campanha de vacinação e a ampliação do público. Desde ontem (3), toda a população terá a oportunidade de se vacinar contra a influenza, enquanto durarem os estoques da vacina.

Conforme informações da assessoria de imprensa da Ses, entre as cidades que concentram um grande número de população que ainda não atingiram a meta estão Sinop (87,33%) e Barra do Garças (82,56%). Já Cuiabá também não atingiu o objetivo durante o período da campanha, mas realizou um segundo dia “D” neste último sábado (01). Até a última sexta-feira (31), o índice atingido pela capital era de 81,09% do público alvo. Os municípios em pior situação de cobertura vacinal são: Cotriguaçu (67,06%), Poxoréo (65,86%), Cocalinho (62,87%), Colniza (53,71%) e Gaúcha do Norte (42,58%).

Estavam elencados entre os prioritários para receber a vacina trabalhadores da saúde, povos indígenas, gestantes e mulheres até 45 dias após o parto, idosos, professores de escolas públicas privadas, pessoas com doenças crônicas ou imunidade baixa, jovens sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional, pessoas privadas de liberdade, profissionais das forças de segurança e salvamento e crianças de até 5 anos de idade.

Este ano, a campanha de vacinação contra a gripe foi lançada pelo ministro Luiz Henrique Mandetta, em Cuiabá, durante a abertura da Semana de Vacinação das Américas, no dia 22 de abril. Com a ampliação da imunização, um dos objetivos do ministério é o não desperdício da vacina nas localidades que não conseguiram atingir a meta.

De acordo com as informações do Ministério, a vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina e protege contra três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial de Saúde (OMS). A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

Neste ano, até 11 de maio, foram registrados 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 144 mortes. Até o momento, o subtipo predominante no país é o vírus influenza A (H1N1) pdm09, com registro de 407 casos e 86 óbitos.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL