NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 07 de Dezembro de 2019
CIDADES
Terça-feira, 30 de Abril de 2019, 01h:50

SAÚDE

Em 10 dias, 4 bebês morrem à espera de UTI em MT

O último caso ocorreu em Jaciara, onde a criança teve paradas cardiorrespiratórias vindo a falecer

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Mais uma criança morreu enquanto aguardava por um leito em unidade de tratamento intensivo (UTI) neonatal, em Mato Grosso. No último domingo (29), um recém-nascido de 28 dias veio a óbito enquanto aguardava, no Hospital Municipal de Jaciara (a 140 quilômetros, ao Sul de Cuiabá), pela vaga de UTI. Em pouco mais de uma semana, este é o quarto caso ocorrido, em todo o Estado.

O bebê, identificado como Enzo Vivian, teve quatro paradas cardiorrespiratórias durante a madrugada e, no início da manhã do domingo (28), teve outra parada cardiorrespiratória, vindo a falecer. A médica que atendeu a criança chegou a registrar boletim de ocorrência sobre o caso ao alegar que a mãe do garoto tentou agredi-la ao saber da morte.

A família, por sua vez, alega que pediu que ela não desligasse os aparelhos até que conseguissem a vaga tanto em hospitais públicos ou particulares da capital ou outros municípios como Rondonópolis e Primavera do Leste, que foi liberada horas depois do falecimento.

Em pouco mais de uma semana, é o quarto caso de morte de recém-nascidos que aguardam por uma vaga de UTI, no Estado. Outros três bebês morreram enquanto esperavam a transferência para UTI neonatal. No último dia 19, Alice Valentina Uhde, de Campo Novo do Parecis (385 quilômetros da capital), morreu após complicações de uma cirurgia realizada em um hospital particular de Cuiabá. Os custos estariam sendo pagos com dinheiro arrecadado em campanha através da internet. O bebê aguardava vaga em uma UTI, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

O segundo ocorreu em Sinop (503 quilômetros, ao Norte da capital), onde uma bebê indígena veio a óbito no dia 23, após esperar 14 dias por uma UTI neonatal. A Defensoria Pública tinha conseguido uma vaga num hospital particular de Goiás, mas a bebê não resistiu e veio a falecer na noite anterior a decisão. Ainda em Sinop, Isis Emanuele Cardoso apresentou problemas respiratórios e febre. O quadro se agravou e ela teve que ser entubada. A Defensoria Pública também chegou a entrar com liminar, mas a bebê veio a falecer antes da decisão da Justiça.

SANTA CASA – Somente na Casa de Misericórdia de Cuiabá, fechada há mais de 45 dias, há nove leitos de UTI neonatal. Na última semana, o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, determinou à Secretaria de Estado de Saúde (Ses) a elaboração de um plano de viabilidade para a reabertura da instituição hospitalar, que deve ser apresentado nesta semana.

No comunicado é informado que para a adoção da medida são levados em consideração os graves problemas ocasionados à saúde pública com a interrupção dos relevantes serviços prestados pela Santa Casa fechada desde o dia 11 de março passado. “Considerando que até o momento nenhuma solução foi apontada, seja pela administração daquele hospital filantrópico, seja pela Prefeitura de Cuiabá - que detém a responsabilidade da gestão plena dos serviços de saúde da Capital”, diz.

Na nota, o Estado reconhece que “a falta de leitos de UTI pode ocasionar risco a pacientes que necessitam de atendimento de alta complexidade. Também foram consideradas reuniões, com presença de representantes da sociedade civil organizada, parlamentares e autoridades do setor de saúde, inclusive com o Ministério da Saúde (MS). Diante disso, “o governador Mauro Mendes determinou à Secretaria de Estado de Saúde (SES) a elaboração de uma proposta de solução (Plano de Viabilidade) para a reabertura desta importante instituição”.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL