NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 19 de Outubro de 2019
CIDADES
Sábado, 06 de Julho de 2019, 01h:00

SANEAMENTO

Rio Cuiabá deixa de receber 60 toneladas de esgoto sem tratamento

A partir de agosto, valor referente ao serviço virá especificado na fatura mensal, acrescido ao valor referente ao consumo de água

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

A partir de agora, o esgoto doméstico lançado no Córrego da Prainha recebe tratamento e só depois de limpo é lançado no Rio Cuiabá. Com isso, o manancial que dá nome à cidade deixa de receber por dia, na região do Porto, duas toneladas de carga poluidora, atingindo a marca de 60 toneladas a menos de poluentes por mês. Além de representar avanço no saneamento, o serviço é importante tanto para a saúde da população quanto para a preservação do meio ambiente. E, as comunidades atendidas passam a compartilhar a responsabilidade de seu custeio.

Portanto, o valor referente ao serviço virá especificado na fatura mensal, acrescido ao valor referente ao consumo de água. Para os clientes integrantes da Bacia da Prainha, o que inclui 16 bairros, a cobrança começa a vigorar em 01 de agosto deste ano. Esses bairros são a Lixeira, Centro Norte, Bandeirantes, Dom Aquino, Centro Sul, Goiabeiras, Santa Helena, Araés, Baú, Senhor dos Passos, Consil, Miguel Sutil, Jardim Alvorada, Bosque da Saúde II, Porto e Poção.

Conforme informações da Concessionária Águas Cuiabá, as obras e melhorias resultantes do investimento total de R$ 228 milhões avançam na capital mato-grossense são frutos da parceria entre prefeitura e a concessionária, com o acompanhamento do Ministério Público Estadual (MPE-MT) e a Agência de Regulação (Arsec). Essas melhorias compreendem novas e grandiosas estruturas operacionais, 165 quilômetros de novas redes já implantadas, sendo 63 Km para abastecimento de água e 102 Km para coleta de esgoto, o que irá garantir mais saúde e qualidade de vida para a população e mais sustentabilidade para todo o meio ambiente.

De importância histórica, o Córrego da Prainha foi canalizado nos anos 1960 e passou a integrar a estrutura de saneamento básico da cidade. Funcionando no modelo denominado sistema misto, ele passou a coletar e transportar água de chuva e esgoto doméstico. Ao assumir os serviços de água e esgoto do município, a Águas Cuiabá desenvolveu projetos que possibilitam à empresa tratar adequadamente o esgoto proveniente dos 16 bairros formadores da Bacia da Prainha.

Para tanto, a concessionária estruturou, modernizou e reativou a estação elevatória de esgoto (ETE) da Prainha e realizou, também, importantes melhorias na ETE Dom Aquino, investindo, nas duas unidades, R$ 40 milhões. “Nosso objetivo é entregar à comunidade cuiabana excelência em saneamento. Para isso, temos nos dedicado em encontrar as melhores soluções para todas as regiões da cidade, construindo aquilo que é necessário, desativando unidades ineficientes e levando inovação a estruturas importantes, como é o caso da ETE Dom Aquino”, explica a diretora de Gestão da Águas Cuiabá, Cristiane Schwanka.

Juntamente com as conquistas, vêm as responsabilidades. “Cumprindo ao que determina o contrato de concessão, comunidades agora atendidas com serviços de esgotamento sanitário passam a compartilhar a responsabilidade de seu custeio, condição fundamental à continuidade e qualidade na prestação dos serviços. O valor referente ao serviço de esgoto virá especificado na fatura mensal, acrescido ao valor referente ao consumo de água. Para os clientes integrantes da Bacia da Prainha, a cobrança começa a vigorar em 01 de agosto de 2019”, informou a concessionária.

Por meio da assessoria, a Águas Cuiabá reforçou ainda que todo o trabalho em prol do esgotamento sanitário vai reposicionar Cuiabá no cenário nacional de saneamento básico, tornando-a uma das capitais mais saneadas do país. Até o final deste ano, a capital mato-grossense contará com 61% de coleta e tratamento de esgoto, chegando ao expressivo índice de 91% no ano de 2024. A Águas Cuiabá assumiu o serviço de água e esgoto da capital em 2017, com a responsabilidade de atender a uma população de 580 mil pessoas.

Há uma semana, o prefeito Emanuel Pinheiro assinou decreto que aprovou a revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico. O documento estabelece metas para o abastecimento de água e esgotamento da capital. Uma delas é que o tratamento do esgoto que é realizado em 57% da capital, chegue a quase 100% até 2024. Além disso, toda a cidade será abastecida com 100% de água tratada, durante 24 horas por dia.

A revisão do Plano foi realizada considerando os termos da Lei Federal nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Seu desenvolvimento se deu a partir do levantamento das demandas da população expostas em audiências públicas pela capital e seus distritos, com assessoria técnica da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O documento também leva em consideração a estimativa de crescimento geográfico e populacional da cidade.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL