NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 16 de Novembro de 2019
CIDADES
Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2018, 18h:11

ABALO SÍSMICO

Rondonópolis registra tremor de 3,5 na escala Richter

Mato Grosso registra o segundo tremor de terra neste ano. Desta vez, o abalo sísmico ocorreu ontem pela manhã, em Rondonópolis (220 quilômetros, ao sul de Cuiabá). Porém, foi de baixa magnitude e não houve danos. O primeiro caso ocorreu no dia 1º de janeiro passado, em Porto Estrela (198 quilômetros, sudoeste da capital). De magnitude de 3,5 na escala Richter, tremor ocorreu entre Rondonópolis e Pedra Preta e foi confirmado pelo Observatório Sismológico (Obsis) da Universidade de Brasília (UnB) e ocorreu às 8h24 (horário local). A Defesa Civil local informou que não houve danos. “Não tivemos nenhuma ligação oficial na área urbana para falar de algum dano físico ou estrutural em decorrência deste tremor. O tremor ocorreu em uma área mais afastada da cidade, mas alguns bairros sentiram o chão vibrar”, informou o coordenador da Defesa Civil, João Fernando Bohrer. Este foi o segundo caso registrado no Estado neste ano. O primeiro ocorreu no dia 1º de janeiro, às 11h39, em Porto Estrela, quando o abalo foi de magnitude foi de 2,3 na escala Richter. No ano passado, o estado contabilizou mais de 40 tremores de terra. As cidades de Várzea Grande e Araguaiana (509 quilômetros, ao leste de Cuiabá) tiveram tremores que chegaram a 3.2 na escala Richter. Outros municípios também atingidos são Rosário Oeste e Juara, ambos com três tremores cada, Pontes e Lacerda, Terra Nova do Norte, Novo Mundo e Nova Bandeirantes, com dois abalos cada. (JD)

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL