NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
CIDADES
Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2018, 17h:38

IBGE

Taxa de desocupação de MT recua

MARIANNA PERES
Da Editoria
Mato Grosso reduziu a taxa de desocupação no mercado de trabalho no último trimestre de 2017, que passou a 7,3% da população desempregada. O percentual, abaixo do registrado no trimestre anterior que era de 9,4%, se torna o menor dos últimos oito trimestres consecutivos, conforme série histórica do IBGE para o Estado. O dado se refere aos meses de outubro, novembro e dezembro do ano passado. Depois de abrir o ano de 2017 com taxa de 10,5%, a maior desde o primeiro trimestre de 2014, o ano fechou com redução, como aponta Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do Quarto Trimestre de 2017, divulgada na última sexta-feira. Estimada em 7,3%, representa uma variação de -2,2 pontos percentuais (p.p.) em relação ao mesmo período do ano anterior e de -2 p.p. em relação ao trimestre anterior (julho, agosto e setembro). A taxa de desocupação no Brasil, no 4º trimestre de 2017, foi estimada em 11,8%. Este indicador apresentou queda de 0,6 p.p. em relação ao trimestre anterior do mesmo ano (12,4%). Com exceção das regiões Sul e Centro-Oeste que apresentavam estabilidade estatística desse indicador frente ao 3º trimestre de 2017, o Nordeste (13,8%), o Norte (11,3% e o Sudeste (12,6%) tiveram queda na taxa de desocupação. Na comparação anual, as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste apresentaram queda da taxa de desocupação. Entre as unidades da Federação, as maiores taxas médias anuais de desocupação em 2017 foram registradas no Amapá (17,7%), Pernambuco (17,6%) e Bahia (16,9%) e as menores ficaram com Santa Catarina (7,1%) Rondônia (8,1%) e Rio Grande do Sul (8,3%). Já no índice registrado no 4º trimestre de 2017, as maiores taxas de desocupação foram registradas no Amapá (18,8%), Pernambuco (16,8%) e Alagoas (15,5%) e as menores em Santa Catarina (6,3%) Mato Grosso do Sul (7,3%) e Mato Grosso (7,3%). Conforme os dados da Pesquisa, o rendimento médio real habitual de todos os trabalhos no Estado foi estimado em R$ 2.116, não apresentando variação estatisticamente significativa em relação ao mesmo trimestre do ano anterior e, também, em relação ao trimestre anterior. Já a taxa de ocupação foi estimada em 59,4%, não apresentando variação estatisticamente significativa em relação ao mesmo trimestre do ano anterior e, também, em relação ao trimestre anterior. REGIONAL – O Centro-Oeste fechou 2017 com taxa de desocupação de 9,4%, abaixo do 10,9% registrado no mesmo período de 2016 e menor do que os 9,7% do trimestre imediatamente anterior. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul tiveram a mesma taxa de desocupação, 7,3%, sem que o percentual mato-grossense foi o que mais reduziu na comparação entre os semestres, ao passar de 9,4% para 7,3%. No estado vizinho a variação foi de 7,9% para 7,3%. Goiás fechou o ano com taxa de 9,4% aumentando ante a taxa anterior de 9,2%. O Distrito Federal teve a maior taxa, 13,2% ante 12,3% no trimestre imediatamente anterior.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL