NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019
CIDADES
Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2018, 17h:57

CHAPADA /ÁGUA

Vereadores pedem investigação do MP

Inaugurada no mês de janeiro, o sistema de captação, tratamento e distribuição de água de Chapada dos Guimarães (65 quilômetros de Cuiabá) veio com a promessa de resolver problema de falta de água por décadas. No entanto, nas festividades de Carnaval, a cidade voltou a ficar sem água. Vereadores protocolaram um ofício junto ao Ministério Público pedindo uma investigação para apurar o motivo das falhas, entre outros problemas. O pedido foi protocolado pelos partidos PDT, PR, DEM, PV, PT, MDB, Rede, PSB de Chapada dos Guimarães. Os parlamentares frisam ainda que o custo inicial da obra que era R$ 4,5 milhões já está no sétimo aditivo. “As informações que foram divulgadas é que o sistema resolveria de uma vez por todas o problema do abastecimento. Mas isso não se confirmou, no Carnaval toda a cidade ficou no seco, causando prejuízos econômicos e impacto negativo na reputação da cidade como atrativo turístico”, confirma trecho do documento. Os parlamentares frisam que o projeto surgiu de estudos no ano de 1997 e se esbarrava na questão orçamentária. O custo era de R$ 4,5 milhões, foi quando iniciou a captação dos recursos. No entanto, o local escolhido não seria viável. Novos estudos foram iniciados e outras alternativas apontadas. “O que nos causa estranheza é o valor da obra, que segundo consta, gira em torno de R$ 17 milhões já com sete aditivos. É de se perguntar se realmente o que está enterrado (rede de aproximadamente 12 km de tubos) custou este montante”, indagam parlamentares em ofício. Os vereadores pedem que o Ministério Público faça um levantamento minucioso da obra para verificar o real montante do seu custo. Além de saber se o SAEE tem condições econômicas e técnicas para gerenciar o empreendimento. O documento é do último dia 22. Quanto ao desabastecimento no período do Carnaval, a prefeita Thelma de Oliveira buscou ajuda junto ao Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura no intuito de detectar as causas e a dimensão do problema apresentado. A assessoria de imprensa de Chapada dos Guimarães confirmou que uma equipe do CREA esteve no local para fazer a inspeção preliminar. O município ainda não tem acesso ao relatório. Falta de água – O problema da falta de água em Chapada dos Guimarães tem sido vivido há 20 anos pelos moradores. No dia 20 de janeiro foi inaugurada a obra de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água do município, que leva o nome do ex-governador Dante Martins de Oliveira. Com a expansão, a capacidade de fornecimento de água no município salta de 30 litros por segundo, no período de seca (geralmente de junho a setembro), para até 100 litros por segundo. Os investimentos para universalização da água em Chapada são provenientes de emenda parlamentar da atual prefeita do município, Thelma de Oliveira, recursos do Governo do Estado, via Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) e Funasa. A construção ficou a cargo da construtora Nhambiquaras. (AA)

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL