NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 17 de Junho de 2019
ECONOMIA
Quinta-feira, 30 de Maio de 2019, 02h:00

E-COMMERCE

Dia dos namorados deve movimentar R$ 2,3 bilhões em compras online

O amor está no ar e no bolso dos casais brasileiros. De acordo com estimativas do Compre&Confie, empresa referência em inteligência de mercado, os apaixonados devem aumentar a procura por presentes no e-commerce este ano: ao todo, as compras online para o Dia dos Namorados devem movimentar R$ 2,3 bilhões este ano, aumento nominal de 8% em relação ao mesmo período do ano passado.

“A expectativa para o comércio eletrônico continua positiva. A possibilidade de economizar no dia dos namorados impulsionará um forte crescimento nas vendas deste ano, apesar da queda do valor médio gasto nos presentes mostrar certa cautela do consumidor neste momento de recuperação da economia”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.

A projeção, que considera o período de 28 de maio a 11 de junho, aponta que o incremento está relacionado ao volume de pedidos no período. A empresa acredita que, ao todo, devem ser realizados 6 milhões de compras online, aumento de 17% em relação ao ano anterior.

Apesar de comprarem mais, os brasileiros devem ter um tíquete médio menor do que o do ano passado. As compras devem ser de, em média, R$ 389,17 , ou 7,5% menor do que o registrado no mesmo período de 2018.

FRAUDES - A internet é a plataforma favorita da maioria dos consumidores, devido à praticidade e preços baixo. Mas, assim como atrai compradores em busca de boas promoções, a internet é um campo fértil para armadilhas. Para evitar prejuízos, o diretor comercial da Certisign, Leonardo Gonçalves, dá dicas de como aproveitar a data para garantir aquele presente especial sem surpresas desagradáveis.

O Phishing, crime virtual nos quais golpistas criam páginas similares às de grandes varejistas apenas para o roubo de dados pessoais ou financeiros, cresce muito durante datas comemorativas, como o Dia dos Namorados. Por isso, antes de colocar informações importantes em uma página, o executivo recomenda que o internauta observe atentamente alguns detalhes da página, como a extensão "HTTPS".

"Nos grandes e-commerces e nas páginas que se preocupam com a segurança dos visitantes, os sites possuem, além da letra S depois do HTTP na barra de endereços, o Certificado Digital SSL, garantindo que o tráfego de informações esteja protegido contra hackers", explica Leonardo Gonçalves.

A presença do selo Site Seguro é, também, outro sinal que atesta o comprometimento daquela página em preservar as informações de compra de seus visitantes.

Observe muito bem a grafia em e-mails e páginas. As páginas falsificadas costumam ser tão parecidas com as originais que os clientes podem ficar confusos e acabar caindo em golpes.

 Para evitar essas armadilhas, o diretor comercial da Certisign recomenda aos visitantes destas páginas redobrar a atenção com a escrita em mensagens e no próprio endereço.

"Uma letra trocada, uma pequena diferença na fonte utilizada ou ícones fora de lugar podem significar que aquela página é uma cópia de um endereço original. Se a pessoa receber um e-mail que considerar suspeito, a recomendação é apagá-lo e não clicar ou baixar nenhum documento anexo".

O executivo recomenda ainda que os consumidores desconfiem de ofertas com preços muito distantes do praticado pelo mercado. "Tudo aquilo que parecer bom demais pode esconder uma armadilha. Por isso, alem de tudo, é importante que o consumidor também faça uma comparação de preços com outros sites, caso não saiba o valor médio daquele produto daquele produto em questão", finaliza. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
Em sua opinião, qual deve ser a prioridade do futuro governador de MT?
Reduzir o número de Secretarias de Estado
Concluir as obras do VLT
Pagar dívidas com fornecedores
Saúde, Educação e Segurança Pública
PARCIAL