NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019
A cara de Cuiabá
Sábado, 08 de Abril de 2000, 16h:48

COMIDA - A saborosa mistura de peixe e mandioca

Comida que melhor representa cidade, a mojica de pintado nasceu quando os antigos uniram o que mais havia na região

CREUZA MEDEIROS
Da Reportagem
“Peixe tinha mais. Muito peixe. Demais de peixe. Tinha rede de arrastar. Pegava muito peixe, dava prá fazer fartura, de fazer azeite. Prá comer, prá alumear a casa. Que hoje não tem mais isto. Acabou”. A declaração pode ser atribuída a qualquer cuiabano que presenciou o tempo em que peixe era encontrado em abundância por estas redondezas. A explicação para a estreita ligação entre o peixe e o cuiabano é cultural. Registra a história que no século XVII, época do descobrimento de Cuiabá, o que mais se via por aqui era peixe. E como também conta a história, a dificuldade era enorme para a chegada de alimentos à capital. Talvez seja essa a justificativa mais simples para a preferência pela mojica de pintado, comida que segundo o estudo realizado pela UP-Unidade de Pesquisa é a "cara" de Cuiabá. Também revelam alguns tradicionais cuiabanos que a produção de mandioca foi uma das primeiras a ser registradas por aqui. Então... nasceu a mojica - a mistura de pintado com mandioca. De acordo com Odélio Dias de Moura, proprietário de uma das mais tradicionais peixarias de Cuiabá, a “Popular”, há cerca de 50 anos, a mojica era bem diferente de hoje - temperada apenas com limão e sal e tinha o caldo branco. Atualmente, o prato está mais requintado e apetitoso. Tanto que só na hora do almoço a peixaria de Odélio chega a consumir 30 quilos de pintado no preparo da mojica. “O segredo é a mandioca”, diz o comerciante. Segundo Odélio de Moura, algumas pessoas jogam o caldo da mandioca fora e por isso a mojica não fica engrossada. E para quem está a fim de comer uma caprichada mojica de pintado neste feriado, vale a pena prestar atenção nas dicas para nunca mais dizer que não sabe preparar o prato. Conforme Odélio, fazer a mojica não é complicado e leva um tempo máximo de 20 minutos. A fim de cozinhar o prato para um farto almoço são suficientes 4 quilos de mandioca e 3 de filé cortado de pintado. Odélio conta que é preciso picar o peixe em cubinhos. A seguir, tempera-se com alho, sal e cheiro verde (coentro, cebolinha, cebola de cabeça). Leva-se o peixe ao fogo para refogar, tendo colocado nele um pouco de massa de tomate além dos outros temperos. Enquanto isso a mandioca também cortada em cubinhos do tamanho do filé de pintado, também já deve estar sendo cozida. Logo depois que o peixe foi “suado”, despeja-se a água onde foi cozida a mandioca sobre o pintado. Depois é só acabar de cozinhar o peixe e no final colocar a mandioca bem cozida sobre o pintado. O acompanhamento pode ser um simples arroz branco ou também pirão e farofa de banana. E a preferência pela mojica não se restringe aos anônimos. “É governador, ministro e muitas outras autoridades que também são fãs da mojica”, revela Odélio Moura, que há 14 anos prepara de segunda a segunda o tradicional prato cuiabano.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
Em sua opinião, qual deve ser a prioridade do futuro governador de MT?
Reduzir o número de Secretarias de Estado
Concluir as obras do VLT
Pagar dívidas com fornecedores
Saúde, Educação e Segurança Pública
PARCIAL