NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 22 de Setembro de 2019
ESPORTES
Quinta-feira, 12 de Setembro de 2019, 09h:02

MUNDIAL BASQUETE

França acaba com invencibilidade de 13 anos dos EUA e avança

A França fez história nesta quarta-feira no Mundial de Basquete Masculino, que está sendo realizado na China. Na cidade de Dongguan, a seleção europeia, comandada por Evan Fournier e Rudy Gobert, avançou às semifinais ao derrotar os Estados Unidos por 89 a 79, acabando com uma invencibilidade de 13 anos, ou 48 jogos, dos norte-americanos, que são os atuais tricampeões olímpicos e bi mundiais.

A última derrota dos Estados Unidos em quadra havia sido para a Grécia por 101 a 95, em 1.º de setembro de 2006, em Saitama, nas semifinais do Mundial realizado no Japão. Desde então, os norte-americanos não perderam mais e conquistaram a medalha de ouro em três Jogos Olímpicos (Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016), além de dois títulos mundiais (Turquia-2010 e Espanha-2014).

Com um time formado por jogadores do segundo escalão da NBA, a missão dos Estados Unidos agora é evitar a pior campanha em um Mundial na história. O posto mais baixo obtido pelos norte-americanos foi em 2002, quando jogaram em casa, na cidade de Indianapolis, e ficaram em sexto - perderam a quinta colocação para a Espanha. Nesta quinta-feira, novamente em Dongguan, pegam a Sérvia no início da disputa pelo quinto lugar

A histórica vitória credencia a França para enfrentar a Argentina nas semifinais, em Pequim, nesta sexta-feira. E se a República Checa perder para a Austrália, ainda nesta quarta, também se garante ao lado da Espanha nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Do contrário, os checos pegam os espanhóis na outra semifinal e duelam, além da vaga na final, por um lugar na Olimpíada.

O cestinha do jogo foi o armador Donovan Mitchell, dos Estados Unidos, com 29 pontos. Maiores destaques franceses, Evan Fournier e Rudy Gobert fizeram 22 e 21, respectivamente. Com 18 pontos, Nando De Colo brilhou nos minutos finais com lances livres decisivos. Marcus Smart, com 11, pelos Estados Unidos, e Frank Ntilikina, com a mesma pontuação, também atingiram dígito duplo na partida.

Controlado pelos franceses por quase todos os 40 minutos, os Estados Unidos foram para o intervalo perdendo por seis pontos de vantagem (45 a 39). Reagiram na metade final do terceiro período para conseguirem uma liderança no placar em 72 a 65, mas permitiram a virada e saíram derrotados por 89 a 79.

OUTROS - O Mundial de Basquete Masculino, que está sendo disputado na China, conheceu o seu quarto e último semifinalista. Uma das seleções ainda invictas na competição, a Austrália confirmou o seu favoritismo nesta quarta-feira ao derrotar a República Checa por 82 a 70, em Xangai, e se credenciar para enfrentar a Espanha, nesta sexta, em Pequim, na luta por uma vaga na grande decisão marcada para domingo.

A outra semifinal do Mundial, também nesta sexta-feira, será entre Argentina e França. Os argentinos se classificaram na última terça ao passarem pela Sérvia e os franceses, nesta quarta, surpreenderam ao eliminarem a seleção dos Estados Unidos, atual tricampeã olímpica e bi mundial. A República Checa acompanhará os derrotados na luta pelo quinto lugar e voltará à quadra nesta quinta contra a Polônia.

Em quadra, o grande destaque da Austrália foi o ala Patty Mills, cestinha da partida com 24 pontos, além de agarrar quatro rebotes e distribuir seis assistências. Ele teve boa ajuda de Chris Goulding e do pivô Andrew Bogut, que anotaram 14 a 10 pontos, respectivamente. No lado checo, o melhor foi o ala Tomas Satoransky com 13 pontos.

A classificação da Austrália definiu as duas últimas vagas diretas, via Mundial, para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, no Japão. Semifinalistas, Espanha e França já se garantiram como os dois melhores europeus da competição, deixando outras nove seleções do continente na disputa de torneios pré-olímpicos pelo mundo em junho do ano que vem.

Os outros países classificados para Tóquio-2020 são Japão (país-sede), Estados Unidos, Argentina (melhores das Américas), Austrália (Oceania), Irã (Ásia) e Nigéria (África).

Ainda na luta pelas quatro últimas vagas já estão garantidas 16 seleções que disputarão quatro Pré-Olímpicos com seis países cada - os campeões se classificam. Para chegar a esse número de 24, a Fiba irá convidar outras oito times através do seu ranking, com vagas separadas por continente: Américas, Ásia, África, Europa e Oceania.

Nesta lista de 16 seleções já com presença certa nos Pré-Olímpicos está o Brasil, que fechou o Mundial na 13.ª colocação. Os outros países são: Venezuela, Itália, Porto Rico, Rússia, Turquia, Nova Zelândia, Alemanha, Canadá, Lituânia, República Dominicana, Tunísia, Grécia, Sérvia, Polônia e República Checa.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL