NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
ESPORTES
Sexta-feira, 08 de Novembro de 2019, 09h:02

FUTEBOL

Michel Platini fala sobre a acusação de corrupção: 'Fizeram de mim o Al Capone'

O ex-presidente da Uefa Michel Platini falou sobre acusação de corrupção e a suspensão que recebeu após cumprir quatro anos longe do futebol. Em entrevista à rádio francesa "France Info", o ex-jogador desabafou e afirmou que "o fizeram de Al Capone " após o escândalo de corrupção que envolveu seu nome, por causa do pagamento irregular de Joseph Blatter, então presidente da Fifa , a ele.

"Foi inacreditável. Me chamaram falsificador de contas, corrupto, lavador de dinheiro. É complicado para mim e para a minha família. Quando levas esse rótulo na cara e não sabes o por quê, isso dói. E isso veio de todo o mundo, alimentado pela Fifa. Você tenta compreender o que se passa, mas está tão desconfortável, não sabe de que forma as pessoas olham para ti. Foi complicado para mim e para a minha família. Fizeram de mim o Al Capone", disse o ex-dirigente.

Platini revelou que chegou a sair de casa disfarçado para não o reconhecerem na rua. O ex-cartola acredita que se tratou de uma conspiração contra ele.

"Foram tempos difíceis. Passado um mês, comecei a perceber que tudo era uma conspiração, um enredo. Comecei a me defender, tentei encontrar os melhores caminhos, mas, no final, sabia que nunca iria vencer. Estava preso desde o início. Não queriam que eu fosse presidente da Uefa, não queriam que eu chegasse a presidente da Fifa", disse o francês, que ainda complementou:

"Blatter criou uma atmosfera contra mim e outros trabalharam nela. Fizeram tudo para que eu não fosse o presidente da Fifa. Tenho valores no futebol, podia ter criado um novo mundo no futebol e isso não agradou internamente, acusou.

Questionado sobre a atribuição do Mundial 2022 ao Qatar, Platini afirmou: "Sempre votei pelo desenvolvimento do futebol. Criei o Europeu em 13 países porque isso permitiria a muitos países receberem a prova, construírem estádios, e vencerem algo. Já há cinco ou seis vezes que o mundo árabe perdia. E para o desenvolvimento do futebol era bom ir para o Golfo. Pedi duas coisas: Que fosse o Mundial do Golfo, para que o Qatar fizesse um esforço para incluir Abu Dhabi, Bahrein e todo o Golfo. E a outra coisa era que fosse em novembro, dezembro", explicou. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL