NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 17 de Novembro de 2019
POLÍCIA
Quinta-feira, 15 de Fevereiro de 2018, 17h:52

EXCLUSÃO

Polícia demite mais um militar

O Comando Geral da Polícia Militar (PM) demitiu do quadro de servidores o soldado Júlio Cezar Pereira, acusado de atirar contra a base militar que fica no Distrito de União do Norte, em Peixoto de Azevedo (620 quilômetros, ao norte de Cuiabá). Ele ainda teria mantido como reféns a própria esposa e um outro soldado da corporação. Esta é a segunda exclusão feita pelo Comando da PM somente neste mês do ano. Com data retroativa ao dia 07 deste mês, a demissão de Júlio Cezar foi publicada ontem, no Diário Oficial do Estado (DOE). No documento, o comandante geral da PM/MT, coronel Marcos Vieira Cunha, que seja feito o recolhimento da identificação funcional, do fardamento e dos apetrechos que pertença a Fazenda Pública Estadual e que estejam sob a posse do ex-soldado. Também foi determinada a exclusão dele da folha de pagamento. O episódio ocorreu no dia 2 de fevereiro de 2014, após uso excessivo de bebida alcoólica. E, em julho de 2016, o Conselho de Disciplina da Polícia Militar apontou o ex-militar como o responsável por atirar contra a base da Polícia Militar do Distrito de União do Norte. Na ocasião, ele ficou embriagado ao ingerir bebida alcóolica na Lanchonete Beira Rio, no Distrito de União do Norte, e teria efetuado três disparos de arma de fogo, o que foi presenciado pela sua esposa, de prenome Vanessa. A esposa imediatamente comunicou o fato ao plantão da PM local. Após, Júlio César Pereira foi encaminhado até o núcleo da Polícia Militar, onde negou a autoria dos disparos. Minutos depois, Vanessa retornou ao Núcleo da Polícia Militar e jogou todos os pertences pessoais de Pereira em frente. A partir deste momento, ele perdeu o controle e agarrou sua esposa sacando uma arma e passando a apontá-la ao soldado e fazer diversas ameaças. Um dos soldados que estava de plantão no núcleo foi rendido e desarmado e Júlio Cesar Pereira se apossou de um fuzil calibre 5.56 que estava dentro da viatura de serviço e algemou sua enteada e o soldado mantendo todos sob a mira de arma de fogo. Ele ainda deixou todos algemados na condição de reféns. Na sequência, efetuou vários disparos com uma pistola particular e com o fuzil da Polícia Militar efetuou 12 tiros na área externa e seis na sala da recepção, sendo que um dos disparos atingiu o monitor de um computador. Após toda a confusão, Júlio Pereira se ausentou do Núcleo da Polícia Militar. Porém, houve pedido de reforço, o que levou o ex-soldado a ser preso e encaminhado para a delegacia de Peixoto de Azevedo. Já no último dia 07 de mês, o Comando da PM demitiu o 3º ex-sargento Wander Carlos de Souza, preso em flagrante em novembro de 2014, no bairro Osmar Cabral, em Cuiabá, pelo crime de tráfico internacional de armas de fogo. No carro de Souza foram encontradas duas pistolas calibre 635, uma pistola PT640, dois revólveres calibres 38, além de várias munições. (JD)

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL