NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
POLÍCIA
Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2018, 17h:59

CONFRONTO COM POLÍCIA

Sequestrador de empresária é morto

O criminoso é apontado como autor do sequestro de uma empresária em novembro de 2017 e estaria envolvido nas decapitações de dois homens

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
Considerado um dos bandidos mais perigoso de Mato Grosso, Kelves Gonçalvez da Silva, 28 anos, popularmente conhecido como “Kelvinho”, e um comparsa foram baleados e morreram durante confronto com policiais civis na madrugada da terça-feira (27), no Bairro Jardim Vitória, em Cuiabá. O criminoso é apontado como autor do sequestro de uma empresária em 17 novembro de 2017 e da tentativa de homicídio qualificado contra um investigador de polícia, ocorrida na mesma ocasião. Segundo a Polícia Judiciaria Civil (PJC), Kelvinho possui vasto histórico de roubo e sequestro. Agora, a polícia investiga sua possível participação nas decapitações de dois homens filmadas e divulgadas nas redes sociais no último fim de semana. Kelvinho era procurado pela polícia civil desde o sequestro para cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido em seu desfavor. Após longa investigação, foi localizado o esconderijo dele, no Bairro Jardim Vitória. Mas, na entrada à residência houve confronto armado e o suspeito foi alvejado assim como o seu comparsa Jean Pierre Queiroz Oliveira, que também tem passagens policiais anteriores por roubo, tráfico e associação criminosa. Da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), o delegado Diogo Santana, explicou que foi necessário o uso da força “para conter injusta agressão dos investigados”. “Os policiais da GOE (Gerência de Operações Especiais) efetuaram o adentramento tático na casa quando os criminosos esboçaram reação acessando às armas de fogo que possuíam, momento em que foi necessária a reação policial”. Após serem alvejados, os criminosos foram imediatamente encaminhados ao pronto socorro municipal, mas vieram a óbito. Na lista dos investigados do sequestro da empresária, Kelves da Silva, que era considerado o principal autor do crime, e o responsável por atingir o policial civil da Derrfva, Sidney Ribeiro dos Santos. Na investigação da extorsão mediante sequestro foram indiciadas 15 pessoas. Segundo o delegado da Derrfva, Marcelo Martins Torhacs, diversas diligências foram realizadas para capturar o sequestrador, sendo a maioria delas, resultando em prisões de envolvidos com atividades criminosas, como tráfico e roubo, que davam apoio na fuga do suspeito. “Restava prender o articulador da extorsão mediante sequestro e autor do homicídio qualificado tentado contra o investigador de polícia da nossa unidade. Obtivemos êxito hoje (ontem) através de trabalhos de inteligência e operacional integrados”. Na ação de ontem, foram apreendidas as armas de fogo encontradas com os suspeitos, sendo uma pistola 9mm (mesmo calibre que atingiu o policial civil) e uma submetralhadora, além de um rádio comunicador na frequência da polícia, porções de entorpecentes e dezenas de munições. A Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) vai apurar as circunstâncias do confronto. A ação foi realizada pela GCCO, que preside as investigações, com apoio da GOE, Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva) e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer). Kelvinho já esteve preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), onde cumpriu pena em 2012, mas foi solto em 08 de agosto de 2015. A suspeita é que ela seja membro da facção Comando Vermelho de Mato Grosso. SEQUESTRO - A empresária Milene Falcão Eubank foi sequestrada na tarde de 17 de novembro, em frente ao Colégio Maxi, no bairro Quilombo, região nobre da capital. Durante a ação de resgate, na madrugada do dia seguinte, quando a empresária foi liberada, houve troca de tiros e o investigador Sidney dos Santos foi baleado na cabeça. O policial foi levado para o pronto-socorro, onde passou por uma neurocirurgia para a retirada de um projétil, que ficou alojado na cervical. Ele ficou em coma por dez dias, passou por cirurgia e liberado após ficar 55 dias internado. DECAPITAÇÕES – A Polícia Civil investiga a suspeita de que Kelves da Silva estava envolvido nas decapitações que foram filmadas e divulgadas nas redes sociais no último fim de semana. Nos vídeos, os bandidos realizam uma espécie de “tribunais do crime”. Em um dos vídeos, o mototaxista que transportou a grávida Viviane da Silva Ângelo, de 18 anos, encontrada morta com requintes de crueldade, é interrogado e conta que buscou a jovem no dia de seu desaparecimento e que ouviu ela recebendo uma ligação de um homem chamado “Matheus”. Ao chegar na região da Ponte de Ferro, na capital, onde a jovem ficaria, ele contou que foram abordados por um homem conhecido como “Zulu”. O rapaz que conduziu Viviane Ângelo conta que não falou a verdade antes por medo de ser assassinado. Já em outro vídeo, um homem vestido com as mesmas roupas do mototaxista é decapitado por um encapuzado. Em outra filmagem, um homem de bermuda preta, amarrado, é interrogado supostamente pelo mesmo grupo. Ele confessou ser o mandante do crime e que apenas ele e “Zulu” sabiam do caso. O motivo seria ciúmes. Por fim, ele diz que sabia que o filho de Viviane Ângelo não era seu. Após, um homem com bermuda preta também foi decapitado. A suspeita é de que o duplo homicídio seja uma vingança da facção Comando Vermelho pelo assassinato de Viviane Ângelo. A polícia fez buscas na região da Ponte de Ferro para tentar encontrar os corpos, mas até o fim da manhã de ontem não tinham sido localizados.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL