NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 17 de Fevereiro de 2020
POLÍTICA
Sexta-feira, 14 de Fevereiro de 2020, 15h:17

CÂMARA

Abílio Junior ataca colegas vereadores

Vereadores governistas e de oposição trocaram duras acusações na tribuna da Casa de Leis

O relatório da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar (CPI) que sugere a cassação do mandato de vereador Abílio Junior (PSC), movimentou a sessão plenária desta quinta-feira (13) na Câmara Municipal de Cuiabá.
Vereadores governistas e de oposição trocaram duras acusações na tribuna da Casa de Leis. A “briga”, inclusive, deve ser judicializada.
Prestes a ter o seu mandato cassado, o vereador Abílio Junior (PSC) disparou sua “metralhadora” contra os membros da Comissão de Ética, especialmente nos vereadores Toninho de Souza (PSD) e Ricardo Saad (PSDB), que respondem pela presidência e relatoria da Comissão.
O social cristão denunciou uma suposta negociata por parte dos parlamentares da base governista. De acordo com ele, o presidente do Legislativo Misael Galvão (PTB) propôs ao vereador Marcelo Bussiki (PSB) segurar a cassação de seu mandato, caso o socialista não deixasse a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó prosperar.
“O Drº Ricardo Saad chegou em mim e falou: ‘nós tentamos conversar com Bussiki’, chegou no Diego e falou: ‘tentamos conversar com Bussiki. Eu conversei com o Bussiki, e ele me falou que o presidente da Câmara tentou falar com ele, dizendo para segurar a CPI do Paletó, que ele seguraria a minha cassação. Por isso eu digo, muito obrigado Bussiki por você ser essa pessoa de caráter. Não arrede o pé, não segure, vai para cima dos corruptos. Casse o Abílio, mas não ceda a essa gentalha, não ceda a esse corruptos. Se Cuiabá está indo pro buraco é porque a Câmara faz parte”, relatou o vereador.
Abílio ainda voltou a chamar os seus colegas de parlamento de “corruptos”, e desta vez ainda envolveu outros parlamentares tais como Chico 2000 (PR), Juca do Guaraná (Avante), Adevair Cabral (PSDB) e Luis Claudio (PP).
“Não é fácil combater a corrupção, enfrentar o prefeito e seus maus vereadores. Enfrentar vereadores como Toninho de Souza, um dos mais queridos da nossa cidade, talvez tão odiado quanto o prefeito. Enfrentar vereadores que estão aqui prejudicando a saúde de Cuiabá, vereadores que estão do bolso do paletó. Existem bons vereadores dentro da Câmara, mas Toninho, Chico, Saad, Luis Cláudio, Juca e Adevair, são a pior classificação de vereadores. Esse grupo representa os piores vereadores, o rolo compressão como gostam de ser chamados”, criticou.
Saad, por sua vez, rebateu as acusações e garantiu que irá acionar o vereador Abílio judicialmente por calúnia e difamação. “Eu não falo nada as escusas vereador Abílio, eu não preciso disso. Eu tenho 70 anos de idade e gostaria que o senhor respeitasse isso. Agora, não venha me chamar de corrupto, eu vou judicializar o senhor, vou entrar na justiça criminal contra o senhor, e o senhor vai ter que provar que eu sou corrupto. Eu não brinco mais, o senhor está me ofendendo e eu não aceito”, rebateu Saad.
Com relação à suposta negociata, o tucano afirma que a intenção era apenas chegar num entendimento para que ambos os casos voltassem a ser tratados após o feriado de Carnaval.
“Conversei sim com o vereador Bussiki, mas não era para abafar nada, nem fazer qualquer tipo de troca, era para deixar essa discussão para depois do Carnaval. Nunca quis tirar ou colocar nada do paletó”, explicou.
Diante disso, o tucano ainda chamou o seu colega de parlamento de “enrustido” e afirma que ele se esconde atrás de seu avô, Sebastião Rodrigues, pastor presidente das igrejas Assembleias de Deus do estado de Mato Grosso.
“Uma coisa eu posso te afirmar vereador Abílio, não sou corrupto, eu não furo fila, eu não sou igual ao senhor, enrustido, eu não me escondo atrás do meu avô, de quem quer que seja da Igreja. Eu sou Drº Ricardo Saad, médico, há 36 anos prestando serviço a essa cidade, ninguém pode falar nada de mim”, completou.
O parlamentar também relatou que vem sendo ameaçado pelo social cristão desde a apresentação do relatório final do processo disciplinar que tramitava na Comissão de Ética do Parlamento Municipal desde outubro do ano passado. O documento sugere a cassação do mandato de Abílio.
“Desde a hora que entrei nesse plenário o senhor está me ameaçando. Esse é o seu perfil. Quando eu fiz o projeto, de que todo vereador tem que passar por psiquiatra é necessário. Eu não concordo com a sua atitude e vejo você como uma pessoa doente”, disse.
O vereador Toninho de Souza (PSD) também usou a tribuna para se defender. “De todos os processos que participei desta Casa, nenhum foi contestado”, declarou.
A resolução referente ao relatório produzido pela Comissão de Ética foi lida em plenário e em seguida encaminhado para a Comissão de Constituição e Justiça da Casa de Leis para emissão de parecer.
A partir do seu recebimento, o grupo tem 15 dias úteis para análise. Após isso, ela será remetida ao crivo do plenário para votação.
A tendência é que ela chegue, de fato, nas mãos da CCJR na próxima quarta-feira, dia 19, quando o grupo se reúne ordinariamente.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL