NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019
POLÍTICA
Quinta-feira, 06 de Junho de 2019, 02h:00

BOLSONARO EM MT

Mauro pede reforma da previdência para Estados

Bolsonaro é recebido com festa em Barra do Garças, na fronteira com Goiás, onde lançou programa de revitalização do Araguaia

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

Durante a cerimônia de lançamento do programa "Juntos pelo Araguaia", para revitalização da bacia hidrográfica do rio, na divisa de Mato Grosso e Goiás os governadores dos dois estados fizeram um apelo ao Congresso, na frente do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

"Gente, pelo amor de Deus, não deixem os estados e municípios fora dessa reforma", disse Mauro Mendes. "Ou daqui uns anos nós vamos estar trabalhando apenas e exclusivamente para pagar nossos aposentados e não vai sobrar dinheiro para cuidar da saúde, das estradas, das escolas", completou o governador de Mato Grosso.

"Nós temos que fazer as reformas, sim. E elas têm que ser inclusivas aos Estados e municípios dando espaço à educação, saúde e oportunidade de emprego", defendeu Ronaldo Caiado, governador de Goiás.

"A reforma interessa para todo o Brasil, até para o servidor, porque se não reformar vai faltar dinheiro para pagar o servidor lá na frente de maneira que nós precisamos mostrar para o mundo lá fora e para os investidores aqui de dentro que nós estamos fazendo o dever de casa. O Brasil não pode continuar gastando mais do que arrecada", defendeu.

"Acreditamos nós que com a reforma aprovada basicamente como foi apresentada, investimentos virão e nós podemos decolar na economia", disse Bolsonaro, sem citar especificamente a questão dos estados.

No sábado (1º), o relator da reforma, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), disse que avaliava retirar estados e municípios da Previdência. Na segunda (3), porém, voltou a defender mantê-los no documento final. Moreira diz que deve apresentar o relatório final até segunda-feira (10).

Em audiência no Congresso, na segunda, o ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu que as circunstâncias políticas podem fazer com que se opte por retirar estados e municípios da reforma.

"Tem gente que precisa da reforma de estados e municípios, vai se beneficiar, mas fica criticando a reforma e quer que os outros façam, para ter o custo político. A reação política é deixar eles fora da reforma, mas é um problema político, não tem nada a ver conosco", disse. Porém, ele defendeu a manutenção de todos no projeto por causa do "sentido de solidariedade com a federação".

"Republicanamente, deveria estar todo mundo junto, em vez de dois ou três regimes diferentes, deveríamos ser iguais", afirmou.

VISITA - Bolsonaro participou de cerimônia para o lançamento do programa Juntos pelo Araguaia ao lado dos governadores Ronaldo Caiado (Goiás) e Mauro Mendes (Mato Grosso), ambos do DEM.

O evento foi realizado em Aragarças (GO) separada de Barra do Garças (MT) pelo rio Araguaia. O objetivo é revitalizar a bacia hidrográfica da região que abrange 27 municípios.

O presidente chegou à cidade mato-grossense acompanhado por uma comitiva de sete ministros, Tereza Cristina (Agricultura), Marcelo Álvaro Antonio (Turismo), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), Ricardo Salles (Meio Ambiente), Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Augusto Heleno (GSI) e Floriano Peixoto (Secretaria-Geral).

No caminho entre o aeroporto de Barra do Garças e o evento, realizado do lado goiano, ele desceu do carro cinco vezes e acenou para a população, cumprimentando moradores com aperto de mãos.

Ele chegou ao local da cerimônia, à beira de uma região assoreada do rio Araguaia, próximo às 11h, com uma hora e meia de atraso. Bolsonaro vestia uma camisa do clube de futebol Goiás com o número 17, o mesmo de sua legenda, o PSL.

Ao fim, conduziu um jet ski levando Caiado na garupa e percorreu um curto trecho do rio Araguaia, sob a escolta do Corpo de Bombeiros.

Ele pediu aos seus seguranças que liberassem o acesso da população a uma área cercada próxima ao evento e foi cumprimentado com gritos de "mito" e foi aplaudido ao criticar a esquerda e defender o aumento da validade da carteira de motoristas.

Durante a cerimônia, Bolsonaro assinou um protocolo de intenções com os governadores e o Ministério do Meio Ambiente firmou um acordo de cooperação com as secretarias estaduais para revitalizar a bacia do rio.

No início da noite de terça-feira (4), o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, chegou a anunciar que o presidente cancelaria a agenda. Como justificativa, disse que a desistência tinha como base uma análise de risco feita pelo GSI (Gabinete de Segurança Institucional).

A fala do porta-voz pegou a equipe do presidente e dos governos de Mato Grosso e de Goiás de surpresa. Durante o mesmo pronunciamento à imprensa, Rêgo Barros foi interrompido e em seguida informou que, na verdade, a agenda estaria mantida.

Segundo relatos feitos à reportagem, relatório do GSI da véspera não apontava risco à segurança e integridade do presidente. O cancelamento da agenda foi cogitado após serem detectados problemas na organização e a possibilidade de manifestação de um grupo de estudantes da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), que tem um campus em Barra do Garças (MT).

A cidade de Aragarças, localizada a 400 km de Goiânia, fica na divisa de Goiás com Mato Grosso. Os estados são divididos pelo rio Araguaia.

A região tem forte presença ruralista, base de apoio a Bolsonaro. Na cidade goiana, o presidente obteve 58,14% dos votos nas urnas em 2018. Já na cidade de Barra do Garças, do lado mato-grossense, ele teve 63,79% dos votos. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL