NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
Primeira Página
Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2018, 19h:05

CPI DO PALETÓ

Silvio confirma propina para prefeito

Em depoimento na CPI, Silvio Correa confirmou que repassou propina a Emanuel Pinheiro enquanto este exercia o mandato de parlamentar na Assembleia

RAFAEL COSTA
Da Reportagem
Em depoimento a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) ontem na Câmara Municipal de Cuiabá, o ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Silvio César Corrêa de Araújo, confirmou que repassou propina ao atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), enquanto este exercia o mandato de parlamentar na Assembleia Legislativa. A confirmação foi feita após questionamento do relator da CPI, vereador Adevair Cabral (PSDB) de que o dinheiro entregue seria referente a uma dívida do ex-governador Silval Barbosa com o empresário Popó Pinheiro, irmão do atual prefeito e dono de um instituto de pesquisas. De imediato, Silvio Corrêa negou que o pagamento esteja vinculado a pagamento de dívida, mas sim a uma propina mensal paga aos deputados estaduais. “O dinheiro repassado ao Emanuel era de propina mesmo”, declarou. Considerado homem de confiança de Silval Barbosa, Silvio César Corrêa de Araújo firmou acordo de colaboração premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR), homologada em março do ano passado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. As revelações de ambos visando redução de pena em eventuais sentenças condenatórias, conforme previsto na lei 12.850/2013, envolvem autoridades com foro por prerrogativa de função em tribunais superiores como o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP) e conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), como o atual presidente afastado Antônio Joaquim, razão pela qual levou a investigação ser concentrada inicialmente na PGR com aval do STF. Silvio foi o responsável por filmar deputados recebendo dinheiro, enquanto atuou na chefia de gabinete do ex-governador Silval Barbosa. Nas imagens feitas em uma câmera escondida em seu gabinete, parlamentares da legislatura passada são flagrados recebendo maços de dinheiro que totalizavam até R$ 50 mil. O dinheiro seria propina paga com dinheiro desviado do programa de infraestrutura, MT Integrado, avaliado em R$ 1,1 bilhão. O valor pago aos deputados seria uma compensação pelo apoio as medidas do Executivo. “O acordo que o governo tinha com Assembleia era R$ 600 mil divididos em 12 parcelas. O governador passou a relação dos deputados que receberiam os valores. Nessa relação constava o nome do Emanuel”, disse. Ainda na resposta aos questionamentos feitos pelos integrantes da CPI, Silvio César Corrêa de Araújo negou que tenha sofrido pressão ou ameaça do prefeito Emanuel Pinheiro em decorrência de sua delação premiada. Além disso, assegurou que tem outros documentos que comprovam o pagamento de propina aos parlamentares. “Tem gravação e folhas de anotações que eu fazia para quem eu havia pago”, disse. O vereador Mario Nadaf questionou novamente a respeito do pagamento feito a Emanuel Pinheiro. Pausadamente, Silvio Corrêa confirmou que se tratava de propina. “Só para não restar nenhuma dúvida: o dinheiro pago ao Emanuel era de pro-pi-na”, concluiu.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.



ENQUETE
A quem interessa a rixa entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?
Ao governador do Estado
Ao prefeito da Capital
Aos grupos políticos que miram as eleições de 2020
Isso só prejudica a população em geral
PARCIAL